IRESSA 250MG

Indicações para IRESSA: Tratamento de primeira linha do cancro do pulmão de células não pequenas metastático (NSCLC) com deleções do exão 19 do EGFR ou mutações de substituição do exon 21 (L858R) como detectado por um teste aprovado pela FDA. Limitações de uso: Não estabelecido em NSCLC metastático com mutações de EGFR diferentes das deleções do exão 19 ou mutações de substituição do exon 21. Adulto: Pode dispersar guias na água; Beber imediatamente ou dar via tubo NG. Administre 250 mg uma vez por dia até que ocorra a progressão da doença ou toxicidade inaceitável. Modificações de dose para reacções adversas: ver rotulagem completa. Concomitante indutores fortes CYP3A4: aumentar para 500mg diariamente; Retomar a 250 mg sete dias após a interrupção do indutor CYP3A4. Crianças: Verificar bula. Advertências / Precauções: Descontinuar permanentemente se houver doença pulmonar intersticial confirmada (ILD), insuficiência hepática grave, perfuração GI ou ceratite ulcerativa persistente. Retenção por até 14 dias se início agudo ou agravamento de sintomas pulmonares, NCI CTCAE Grau ? 2 ALT e / ou AST elevações, grau ?3 diarréia ou reações cutâneas, ou graves ou piorar distúrbios oculares (incluindo queratite). Interromper ou interromper a terapêutica se se desenvolverem alterações bolhosas e esfoliativas graves. Obter LFTs periódicas. Insuficiência hepática moderada e grave; monitor. Use contracepção eficaz durante o tratamento e durante pelo menos duas semanas após a conclusão. Gravidez, mães lactantes: não recomendado. Interações: Potenciado por inibidores potentes de CYP3A4 (por exemplo, cetoconazol, itraconazol); monitor. Antagonizado por indutores fortes de CYP3A4 (por exemplo, rifampicina, fenitoína, tricíclicos); Ver Adultos. Pode ser antagonizado por fármacos que aumentam o pH gástrico (por exemplo, bloqueadores de H 2 , antiácidos); Tomar gefitinib 6 horas após ou 6 horas antes de um bloqueador de H 2 ou antiácido. Evitar PPIs concomitantes; Se necessário, tomar gefitinib 12 horas após a última dose ou 12 horas antes da próxima dose PPI. Pode potencializar a varfarina; Monitorar INR. Reações adversas: Reacções cutâneas, diarreia, vómitos, diminuição do apetite, estomatite; ILD, hepatotoxicidade, perfuração GI, distúrbios oculares.

ESTE PRODUTO É UM MEDICAMENTO. SEU USO PODE TRAZER RISCOS. PROCURE UM MÉDICO OU UM FARMACÊUTICO. LEIA A BULA. MEDICAMENTOS PODEM CAUSAR EFEITOS INDESEJADOS. EVITE A AUTOMEDICAÇÃO: INFORME-SE COM O FARMACÊUTICO.

Para obter o preço da medicação ou solicitar maiores detalhes a respeito do processo de compra, por favor entre em contato conosco no botão acima.

Se você precisa comprar um medicamento específico que não está disponível no Brasil, a Farmausa te auxilia no processo de importação.

Existem alguns medicamentos que, apesar de já serem comercializados no mundo todo, ainda não possuem registro na ANVISA. Portanto, é necessário acompanhamento administrativo e aduaneiro para que cheguem até você com segurança.

Pensando sempre em nossos clientes, realizamos ampla pesquisa de custos e qualidade com inúmeros parceiros localizados ao redor do mundo, como Alemanha, Estados Unidos, Suíça, Turquia, Austrália e Reino Unido. Esse amplo mix de fornecedores nos possibilita entregar ao cliente final um produto com o menor preço e confiabilidade.

A Assessoria na Importação de Medicamentos da Farmausa destina-se tanto para Pessoas Físicas quanto para Pessoas Jurídicas (órgãos públicos, prefeituras, PBMs, hospitais, indústrias, farmacêuticas, laboratórios) que necessitam de medicamentos de alta complexidade.

Como comprar IRESSA 250MG?

1º Prescrição

Em consulta com seu médico receba sua prescrição médica (receita) com todas as orientações sobre a forma de aplicação de sua medicação, número do CRM do médico, dosagem e período de tratamento.

*A importação pode ser realizada para até 6 meses de tratamento comprovados na receita médica.
2º Solicitando o Medicamento

O processo é muito simples, com a prescrição médica em mãos, RG e CPF do paciente e comprovante de endereço entre em contato com a FarmaUSA  através dos canais de atendimento para solicitar sua importação.

*Em alguns casos, é necessária a declaração do médico que trata-se de um documento padrão constante na legislação RDC 81 de 05/11/2008.

3º Importação
Com a documentação do paciente em mãos a FarmaUSA entrará em contato com os distribuidores e laboratórios autorizados no país de origem da medicação, para dar início a importação em nome do paciente.
4º Transporte
O transporte de seu medicamento importado ocorrerá da maneira que está estabelecida na bula, dentro das condições de temperatura exigidas, para que sua aplicação seja eficaz e seu tratamento tenha o resultado esperado. Assessoramos importações para TODO O BRASIL.
5º Entrega
Sua medicação seguirá diretamente do país de origem ao endereço informado pelo paciente no momento da solicitação do medicamento.
Quando a medicação chegar ao Brasil será analisada pela ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e seguirá ao destino sem nenhum transtorno ou custo adicional ao paciente.

*Em alguns casos, é necessária a declaração do médico que trata-se de um documento padrão constante na legislação RDC 81 de 05/11/2008.